Baú de histórias De como aprendi a descobrir palavras

 Izé da Maria Rosa tinha cinco irmãos. Em dias cujos números se perderam no tempo, saíra de casa para ir à escola. Na época, não era usual às mulheres aprenderem as artes dos livros. Considerada um luxo, a prática era privilégio dos homens. Sendo assim, Izé foi mandada à escola somente para acompanhar o irmão Juca, que se negava a colaborar com a mãe na tarefa de fazê-lo entender letras e números. Ao final de escassos três meses, ele não havia aprendido nada e voltou para casa. Ela, porém, atenta à cartilha da professora Germana do Bernardino, ficou presa nas redes da leitura e, de lá, nunca mais saiu.

A vida de Izé desenvolveu-se como das outras meninas que conhecia. Cresceu, casou e criou. Era também uma hábil tecedeira. Arrastando as gastas alpercatas, urdiu, teceu e coseu. E jamais deixou que a falta de recursos lhe roubasse a sabedoria. Assemelhava-se a um Dom Quixote de cinzentas saias, combatendo moinhos de vento. Por valorizar a formação educacional, tentava supri-la através da busca solitária em páginas de livros. À tardinha, quando se punha a ler, na escada de casa, postava-se serena, rodeada de livros, acompanhada somente de histórias. Assim, tecia colchas nos teares da vida e histórias no imaginário de quem a rodeava. Habilmente, abarrotava o repertório de causos fantásticos dos antepassados ou de tramas enigmáticas de colchas coloridas.

Até que um dia se encontraram, o ontem e o amanhã. De uma volta só, o ponteiro escreveu mais de mil páginas, no avesso da vida. E fincou folha solta, sem amarras. Solta ficou também a bíblia centenária que ela carregou consigo, durante mais de cem anos. “Hoje é muito fácil aprender a ler. Até em uma lata de óleo você encontra letras e palavras.” E acrescentava orgulhosa: “Minha mãe colocou meus cinco irmãos e eu na escola. Só eu aprendi a ler”.

A  Bíblia herdada pela neta Cida Leal-

A Bíblia herdada pela neta Cida Leal

Dona Izé com o bisneto Rafael- olhar que demonstra a singeleza da vida

Dona Izé com o bisneto Rafael- olhar que demonstra a singeleza da vida

*Atualmente cursa Especialização em Gestão de Políticas Públicas pela UFJF. É membro da Academia Formiguense de Letras, consultora em Comunicação e Marketing Digital, palestrante e escritora.

Anúncios
Esse post foi publicado em Memórias e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s