Arquivo do autor:Ana Maria Nogueira Rezende

Baú de histórias De como aprendi a descobrir palavras

 Izé da Maria Rosa tinha cinco irmãos. Em dias cujos números se perderam no tempo, saíra de casa para ir à escola. Na época, não era usual às mulheres aprenderem as artes dos livros. Considerada um luxo, a prática era … Continuar lendo

Publicado em Memórias | Marcado com | Deixe um comentário

O bem que volta para nós- a saúde agradece

Reclamar não faz bem. Mal dizer também não. Precisamos praticar as falas do coração em momentos que torturam na alma. Quando aderimos as falas de reclamar e reclamar, o nosso corpo entende a insatisfação mental e da razão que nos … Continuar lendo

Publicado em Artigos | Marcado com | Deixe um comentário

Fantasmas

*Cida Leal E porque fosse a noite bem escura e porque a hora já bem tardia era e ainda sozinha estava, ligou os faróis para atravessar a estrada. Antes mesmo de virar a curva, avistou o primeiro deles. Com os … Continuar lendo

Publicado em Crônicas | Deixe um comentário

Um anjo

*Cida Leal  Atarracada e polida, parecia uma bonequinha russa. Quando o ônibus me cuspiu na esquina escura, ela já estava esperando. Não sei como teve início nossa conversa, mas lembro que se ofereceu para levar-me até o próximo ponto do … Continuar lendo

Publicado em Memórias | Marcado com | Deixe um comentário

A melancia

A arte de comer melancia… Para tudo na vida há uma ciência e uma arte, o jeito de fazer define o gosto que damos à vida. A melancia é assim, comecemos pelo seu lado mais sem graça, branco, sem vida, … Continuar lendo

Publicado em Memórias | Deixe um comentário

Fernando Brant- travessias

      Em Travessia, estamos. Mineiridade de colocar o pé na profissão, a da estrada, ir onde o povo está, uma necessidade! Ir além da esquina, a Minas Gerais no sangue, a ecoar pelas janelas de todas as Três … Continuar lendo

Publicado em Memórias | Deixe um comentário

Izé da Maria Rosa-corregofundense das leituras e das letras

  Ela era uma exímia contadora de histórias. As bíblicas então, sabia de cor. Afinal já lera a Bíblia infinitas vezes, nas mais variadas versões. Falava do fim do mundo, como falava do cometa Halley, cuja passagem presenciou quando criança: … Continuar lendo

Publicado em Memórias | Marcado com , , | Deixe um comentário